Pages

MULHER ARMADA DIMINUI A VIOLÊNCIA?

Tony Sousa


A resposta é sim. A queda nos índices de estupros e feminicídio em alguns estados americanos que permitem o porte de arma a qualquer cidadão tem perturbado os defensores das agendas esquerdistas mundo afora.

Gerar no predador sexual a dúvida se sua vítima está armada ou não já seria um gigantesco ganho.

“Mônica Jones disse que estava mais brava do que com medo, quando correu para ajudar uma garotinha de 12 anos, que era sua vizinha, gritando, pedindo a sua ajuda. Mônica apontou sua arma para o homem que tinha tirado a roupa da criança, e advertiu: “Fique aí ou eu atiro”(...) O suspeito se chamava Leon Fowler, de 23 anos, foi acusado de sequestro e tentativa de estupro. Segundo as autoridades, a vítima tinha sido agarrada em um ponto de ônibus no norte de St. Louis, sendo arrastada para o prédio em um apartamento próximo ao da Sra. Jones, que vive com seus 3 filhos. A Senhora Jones foi lá conferir a situação e acudir a vítima.”

Fatos assim são corriqueiros em alguns estados americanos, nos quais o direito à defesa pessoal é garantido por lei e o porte de armas é totalmente legalizado, inclusive dentro de algumas escolas por parte dos professores. Na Universidade do Texas alunos e professores já fazem uso de armas. No caso específico das mulheres, parece que uma arma dentro da bolsa eleva a autoestima e diminui os riscos! Os números são a resposta! 

Professora em escola no estado de Utah - Treinamento para evitar ataques.

Em Israel não há casos de violência escolar - Os professores andam bem armados - As escolas americanas estão copiando as escolas israelenses ao armarem seus professores.

Saiba mais:

Baixe nossos aplicativos:

Marco Sousa

“Goteje a minha doutrina como a chuva, destile a minha palavra como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como gotas de água sobre a relva”

Deuteronômio 32:2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de Moderação dos Comentários:

1 - A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Comentários com conteúdo ofensivo não serão publicados, pois debatemos idéias e não pessoas ou instituições. Discordar não é problema, visto que na maioria das vezes redunda em edificação e aprendizado. Contudo, discorde com educação e respeito.

2 - A aprovação de seu comentário seguirá os nossos critérios. O Grupo Doutrina Fiel tem por objetivo a edificação e instrução de seus leitores. Comentários que não seguirem as regras acima e estiverem fora do contexto do blog, não serão publicados.